Pesquisa
Filtros

Breastfeeding

 

O meu bebé deve mamar assim que nascer?
Se o bebé nascer sem necessidade de qualquer intervenção, o que acontece na maior parte das vezes, deve ser colocado em cima do peito nu da mãe a fazer contato pele a pele. Este é o processo que vai permitir ao bebé manter a temperatura do corpo estável, serenar as emoções do parto e nascimento, iniciar a vinculação e quando o desejar mamar. Esta é a fase, em que o bebé, mais do que nunca, é capaz de procurar a mama, fazer uma pega adequada e alimentar-se apesar dos reflexos inatos de alimentação serem embotados pelo uso de analgésicos, incluindo a epidural. Uma primeira pega bem-sucedida favorece uma boa evolução da amamentação. O modo como o bebé é recebido no mundo nas primeiras horas marca-o positiva ou negativamente para toda a vida. Para a mãe, esta primeira refeição do seu filho, é a compensação de todo o esforço da gravidez e parto, a sensação de plenitude e empoderamento ao manipular e sentir a sução do seu bebé. “A partir do nascimento o bebé está em controlo do seu destino e esse controlo depende inteiramente de estar no habitat certo – em pele com pele no peito da mãe” (Nils Bergman).
Devo acordar o meu bebé para mamar nas primeiras horas de vida?
Nas primeiras duas horas de vida, e graças às hormonas de stress produzidas aquando do parto, o bebé encontra-se alerta, apto a mamar e a interagir. Segue-se um período de sono com uma duração variável, que num bebé saudável, nascido de uma gravidez normal, de termo, com um peso adequado pode chegar a 8 horas sem necessidade de ser interrompido. Para que o bebé mantenha as reservas de energia de forma adequada, este período da sua vida deve ser passado em pele com pele com a mãe e/ou eventualmente com o pai. Na posição de decúbito ventral os reflexos inatos de amamentação são incentivados e o bebé irá procurar a mama quando sentir fome. Pode ser suavemente incentivado com pequenos toques da mãe.
O meu leite é fraco?
Leite fraco não existe! Bem como não existe leite forte. Leite é leite. Não há memória de haver produtores a recusar uma vaca ou uma cabra por terem leite fraco. Então porque hão de as mulheres ter? O mito terá várias origens, às quais provavelmente não serão alheios os fabricantes de leite artificial.
O meu bebé não está a ganhar peso.
Pode acontecer efetivamente o bebé não aumentar de peso enquanto está a ser amamentado. Na maior parte dos casos o problema é a má pega, que ao ocasionar uma extração de leite deficiente não permite que o bebé engorde. A má extração de leite, por sua vez, ocasiona uma diminuição da produção da glândula mamária. É no entanto necessário não esquecer que para diferentes pessoas existem diferentes critérios em relação ao ganho de peso médio diário, sendo alguns demasiado exigentes. Cada bebé deve ser avaliado individualmente e não apenas à luz dos gramas que aumenta em cada dia.
Dei leite artificial e o meu bebé ficou mais saciado
Efetivamente o leite artificial é francamente mais difícil de digerir do que o leite da mãe. Assim um bebé que ingira esse leite necessita de um maior “esforço do organismo” para fazer a sua digestão e demorará mais tempo até voltar a ter fome. Por outro lado, quando um bebé suga na mama da mãe fá-lo de uma forma pausada que permite ter a informação de que está saciado atempadamente. Ao ingerir através do biberão e com a preocupação de que o bebé possa ingolir ar durante as suções, o biberão vai ficar quase vertical, e o seu fluxo exagerado vai obrigar o bebé a beber rapidamente, só se apercebendo que está saciado após ter comido muito mais do que a quantidade que necessitaria.
Dei leite artificial e o meu bebé dormiu melhor
O sono do bebé é diferente do sono do adulto. Existem 2 grandes fatores diferenciadores: a duração dos períodos de sono que é mais curta nos bebés, e a proporção dos tipos de sono. Os bebés têm mais tempo de sono superficial do que os adultos, por uma questão de sobrevivência e organização. Foi assim que a natureza o idealizou. O leite artificial altera a qualidade do sono do bebé. Será isso um fator benéfico? No entanto, muitos bebés a quem é oferecido leite artificial com o intuito de que durmam mais, acabam acordando o mesmo número de vezes, porque os acordares não são para saciar a fome, mas apenas a necessidade do conchego e organização que apenas o corpo da mãe lhes oferece.
O meu bebé, depois de mamar, bebe o biberão todo com leite artificial. Significa que ficou com fome?
Ao introduzir o biberão na boca, a tetina toca no céu-da-boca do bebé e desperta de imediato o reflexo de sução, iniciando o bebé a ingestão do seu conteúdo, tendo mais ou menos fome. Além disso da forma como o biberão é oferecido ao bebé, forçosamente ele vai engolir muito mais do que necessitaria e a uma velocidade vertiginosa. Já experimentaram inverter uma unidose de leite artificial com a tetina colocada, “generosamente” oferecida pelos fabricantes para ser dada nas maternidades?
Acho que o meu bebé não faz a pega bem feita
Uma pega bem feita é mais de 95% de garantia de sucesso na amamentação. Infelizmente as mães não sabem avaliar a pega, nem a transferência de leite para o bebé. Lamentavelmente a maioria dos profissionais de saúde também não o sabe, pelo que enganam muitas vezes as mães que neles confiam. Numa boa pega o bebé deve entrar na mama de forma assimétrica e não de frente para o mamilo, com uma boca bem aberta, mantendo o queixo encostado e não o nariz, sendo visível mais aréola acima do que abaixo do bebé. Além disso o bebé deve sentir o corpo bem apoiado.
Tenho de dar suplemento mas tenho medo que o meu bebé deixe de mamar
Sempre que lhe digam que tem que dar suplemento ao seu bebé certifique-se de que é mesmo necessário. Fácil de introduzir, é pelo contrário muito difícil de tirar. Um dos motivos que o torna tão perigoso é o minar da confiança da mãe, que se sente incapaz de alimentar o seu filho. Se for dado através do biberão é tanto mais possível de levar ao desmame quanto mais cedo na vida do bebé for introduzido. Não há mama que rivalize com o fluxo do biberão! Para os casos em que seja necessário introduzir leite artificial (e por favor vamos deixar de falar de leite adaptado!), então podemos ter que pensar em alternativas como o copo, a colher, o finger-feeding (sonda no dedo) ou sonda na mama.
Como posso aumentar a minha produção de leite?
A melhor forma de aumentar a produção de leite é aumentando a extração. A glândula mamária funciona assim: quanto mais me pedes, mais eu produzo. Por vezes é necessário recorrer a galactogogos, ou seja substâncias que podem ajudar a aumentar a produção da mama.
Existem chás que fazem aumentar a produção de leite?
Ao longo de milénios sempre houve mulheres mais e menos produtoras, pelo que se encontram identificadas ervas galactogogas como o cardo mariano, o feno grego, etc, assim como existem alimentos que supostamente têm a mesma capacidade como a aveia. Existem também ervas que diminuem a produção de leite como a salsa, a ,hortelã-pimenta e o jasmim.
Devo usar a bomba para tirar leite?
A bomba pode ser um precioso auxiliar em 2 circunstâncias: se o bebé está doente ou é prematuro e não pode mamar, para aumentar ou manter a produção, e quando a mãe vai trabalhar para deixar para o bebé. O leite materno porque não é apenas alimento deve ser dado diretamente na mama, sempre que possível.
Se der suplemento no início tenho de dar sempre?
Felizmente existem muitos casos de mulheres que deram suplemento no início da amamentação, fosse por maus conselhos iniciais, fosse por real necessidade, e que conseguem passar a uma amamentação exclusiva. Implica, na maior parte dos casos, muita teimosia e persistência, sabendo que se está a fazer o melhor para o bebé.
Como sei se o meu bebé mama o suficiente?
Esta é uma questão que angustia uma grande parte de mães e pais, chegando alguns a achar que vale a pena extrair para dar em biberão e saber quanto deram. Nesta fase eu costumo perguntar aos pais o que ganham realmente com essa informação? Será que eles sabem que era aquela a quantidade que o bebé necessitava? Na realidade não sabem eles, nem ninguém sabe. O leite materno é diferente de dia para dia e de refeição para refeição e até dentro da mesma mamada, é diferente no início e no fim. Mas podemos sempre perguntar ao especialista: o Bebé! É necessário “desprogramar” dos horários e das quantidades que nada nos dizem e olhar para o bebé. Os sinais de fome e de saciedade estão lá desde o nascimento para quem os souber ler. E é isso que se deve ensinar aos pais.
O bebé tem de arrotar sempre que mama?
Um bebé amamentado e a fazer uma boa pega pode não ter necessidade de arrotar. Se tiver adormecido é até muito comum não o fazer. Mas se ele precisar vai mostrar essa necessidade começando a agitar-se, pelo que se tentará colocar na posição que se saiba ser mais adequada aquele bebé arrotar.
Quando é que devo começar a dar água ao bebé?
O leite materno é um alimento completo fornecendo todos os nutrientes necessários, incluindo a água. Não deve ser oferecido nada além do leite (mesmo no caso do leite artificial), até perto dos 6 meses de idade, data em que iniciará a diversificação alimentar, sendo também a partir daí oferecida água que o bebé beberá ou não consoante a sede que tenha.
De quantas em quantas horas devo amamentar?
Só a alimentação com leite artificial pode ter um horário previsível, porque se trata de ingerir sempre o mesmo alimento, a todas as refeições, durante muitos meses. No caso do leite materno ele é diferente em composição de mamada para mamada, tornando impossível saber quando o bebé tem fome. Talvez o melhor seja deitar fora o relógio (e o telemóvel) e olhar para o bebé. Ele sabe quando necessita de comer e durante quantos minutos.
O meu bebé mama mais durante a noite. É normal?
A maior parte dos bebés nasce com os “horários trocados” como se diz popularmente. Realmente estão ao contrário dos nossos, o que ocasiona muitas noites sem dormir, muito cansaço e angústia. Mas é um fenómeno normal. As mães reconhecem que sentiam o bebé mais agitado (acordado) também durante a noite, ainda no útero. Este padrão vai mudando impercetivelmente até às 6 a 8 semanas. O fato de estar mais acordado durante a noite torna-os também mais exigentes em termos de alimentação, pedindo mais vezes para mamar.
Existem circunstâncias específicas que impeçam a amamentação? Quais?
São raras as circunstâncias que impedem a amamentação, no entanto algumas doenças maternas que obrigam à utilização de drogas potencialmente lesivas para os bebés podem contraindica-la. É o caso dos cancros ou algumas doenças psiquiátricas e raras doenças infeciosas. A maior parte das condições das mães são compatíveis com a amamentação, mesmo com recurso a fármacos, ou exames como radiografias, contrariamente à crença de muitos profissionais de saúde. Por parte do bebé apenas 2 doenças metabólicas impedem a amamentação, devendo o bebé ser sujeito a uma dieta altamente específica.
Existem mães que não conseguem produzir leite suficiente para o bebé?
Uma pequena percentagem de mulheres não consegue produzir leite suficiente para alimentar em exclusivo. São mães com mamas hipoplásticas, que têm pequena quantidade de glândula mamária, mães com hipotiroidismo não diagnosticado, mães com hemorragias graves agudas, por exemplo. Então porque é que tantas mulheres se deparam com pouco leite e lhes é aconselhado suplementar com leite artificial? Porque o início da amamentação não foi o mais promissor e o estímulo adequado à glândula mamária falhou.
Tenho as mamas pequenas. Vou ter menos leite?
Ao contrário das mamas hipoplásticas, as mamas pequenas não têm dificuldade nenhuma em amamentar. O tamanho das mamas prende-se sobretudo com a quantidade de gordura que contêm e não com a dimensão da glândula mamária.
Fiz cirurgia ao peito. Vou poder amamentar?
A cirurgia mamária pode causar algumas dificuldades à amamentação. Se pensa fazer essa cirurgia e ainda quer amamentar, procure um cirurgião plástico que seja amigo da amamentação. A cirurgia que mais dificulta a amamentação é a redução mamária, porque é retirada gordura mas inevitavelmente alguma glândula também. A cirurgia de aumento pode não ser lesiva, se não houver alteração da aréola. Ao fazer a cirurgia através da aréola vão secionar-se ductos que transportam o leite que vai sair através do mamilo, impedindo a normal circulação do leite.